Catálogo: Arcos da Lapa ou Aqueduto da Lapa

 Home Catálogo /Arcos da Lapa ou Aqueduto da Lapa

    Classificação:

    Categoria: Obras públicas
    Tipologia: Construção
    Natureza: Artística
    Tipo: Construção
    Material: Pedra e tijolo com argamassa

Dados do Monumento

  • Nome: Arcos da Lapa ou Aqueduto da Lapa
    Data de Inauguração: Jan/1750
    Autor: Brigadeiro Alpoim - José Francisco Pinto Alpoim
    Fundição/Atelier:
    Propriedade: Pública
    Tombamento: Tombamento pelo IPHAN pelo processo 0100-T-38 e inscrito no Livro de Belas Artes Nº inscr.: 017 ;Vol. 1 ;F. 004 e no Livro Histórico nº inscrição : 005 ;Vol. 1 ;F. 002
    Ano (tombamento): 1938


    Descrição:

    Símbolo do Rio antigo, presente em grande parte das pinturas e fotografias, é  considerada a mais importante obra do Rio de Janeiro colonial, um exemplo de engenharia século XVIII.

    No inicio daquele século, a Cidade sofria constantemente pela falta de abastecimento de água.  Os escravos e os índios iam buscar água na foz do Rio Carioca, percorrendo grandes distantes. Em 1718 iniciasse as obras de canalização do Rio Carioca.  A idéia era conduzir água até o Centro da Cidade.

    O primeiro aqueduto idealizado  pelo governador Ayres Saldanha. Foi construído em 1721 e logo depois em 1723,  o primeiro chafariz da Cidade.  Estes  foram logo  abandonados por não  resistirem  ao tempo, por terem sido feitos  de madeira.

    Depois de muita discussão sobre o melhor  traçado para ligação dos Morros de Santa Tereza e Santo Antonio em 1744, na gestão do então  governador Ayres Saldanha começaram as obras de um novo aqueduto, semelhante  ao das Águas Livres de Lisboa, exemplar dos aquedutos romanos. Demorou seis anos  e finalizou-se em 1750 com a construção de um segundo chafariz do Largo da Carioca.

    A imponente construção  com 17,6 m de altura e 270 m de extensão,  tem duas series de 42  arcos de volta completa em blocos de pedras, tijolos, areia, cal, e óleo de baleia.

    No Século XIX, com o advento do abastecimento de água encanada o aqueduto tornou-se obsoleto e foi desativado, Em 1896 a Companhia Ferro-Carril Carioca, que introduziu o serviço de bondes no bairro de  Santa Tereza eletrificando as linhas, sendo um dos feitos mais notáveis o aproveitamento do antigo aqueduto colonial como via de acesso ao bairro.


    Biografia:
    * Fontes dos dados (ver bibliografia)

Sua Localização

Endereço: Pç. Nelson Gonçalves - Centro - Rio de Janeiro - RJ
Ampliar o mapa

Mais Fotos

  • Foto lateral
    Vera Dias
  • Foto detalhe
    Vera Dias
  • Foto detalhe
    Vera Dias
  • Foto lateral
    Vera Dias


Quem sou eu

Vera Dias Sou natural da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e nasci em 1956. Meus primeiros passos rumo à formação profissional ocorreram em 1974, ao me matricular no curso Técnico de Edificações do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca. Daí segui para a formação de arquiteta, me graduando em 1981 pelas Faculdades Integradas Silva e Souza. Em 1988, ao terminar a pós-graduação em Urbanismo na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), me candidatei a uma das 150 vagas abertas no primeiro concurso públ...


Leia mais